LOGO nascidos.png
coração.jpg

A fotógrafa Ingrid Mendonça parece ter uma vida completa. Aos 36 anos, ela trabalha com o que ama, é casada com Douglas e é mãe de dois filhos do primeiro casamento, os adolescentes Kauany e Kaue, de 14 e 17 anos respectivamente. A paranaense é feliz, mas falta realizar o sonho que criou ainda na infância: ter um filho nascidos do coração.
 
“Tenho um irmão adotivo que trouxe mais luz à nossa casa. Tenho guardadas cartinhas que escrevia para meus pais agradecendo pelo presente de ter meu irmão e ressaltando minha vontade de adotar quando fosse adulta”.

 

O casamento atual aconteceu quando seus filhos ainda eram crianças. Mesmo não sendo pai biológico, Douglas não pensou duas vezes em zelar e amar os pequenos como se fossem seus filhos. Com o passar do tempo, naturalmente surgiu o assunto de uma possível terceira gravidez. “A ideia surgiu do meu marido que estava receoso de ter mais um filho do coração. Ele encucava na questão de não ter nenhum filho biológico”, explica Ingrid.

 

Ela foi submetida a tratamento para fertilização e até uma cirurgia para reverter as trompas obstruídas. “Não deu certo e encerramos o assunto de gravidez”. Recuperada, Ingrid escutou do marido: “Seu sonho é adotar. Vamos em frente!”.
 
Felicíssima por conseguir dar os primeiros passos de seu sonho de infância, Ingrid e Douglas deram entrada no pedido de adoção. “Faz meio ano que estamos na fila. Todos em casa vivem uma gravidez fora da barriga”, brinca a fotógrafa com certa ansiedade. “Nossa única solicitação é a adoção de uma criança com até três anos de idade”. Sem saber o sexo da criança e muito menos se a chegada será ou não morosa, a família se agarra a fé. “A espera causa uma dor inexplicável”.  A mamãe Ingrid atenta sobre a demora da Justiça no processo de adoção no Brasil. “As mais prejudicadas são as crianças que passam anos aguardando por uma família e quanto mais velhas, mais dificuldade para serem escolhidas”.
 
Apesar da angústia, a família Mendonça encontrou uma forma irreverente de espantar a ansiedade. Assim como mamães grávidas fazem ensaio fotográfico registrando os últimos momentos antes da chegada do bebê, Ingrid reuniu seu clã numa ensolarada tarde para fotografar a espera de seu filhote. “A única diferença é que ao invés de estar na minha barriga, ele está no meu coração”.
 
O Nascidos do Coração está seguindo de pertinho a história da família Mendonça. Confira aqui as novidades fresquinhas deste lindo caso de amor nascido do coração. ♡